Bye 2013, Hey 2014!


Tick tack

Ultimo dia do ano, e como vocês sabem sempre rola aquele texto agradecendo e com metas para o outro ano. Não vai ser bem assim dessa vez não. Poucos sabem, isso porque eu não contei a quase ninguém, mas a época de fazer essas promessas foi 14 de setembro.

14 de setembro? É. Show da Florence + The Machine no Rock in Rio. Começou a tocar Dog Days Are Over e de repente tudo começou a fazer o maior sentido possível, eu estava em um lugar onde eu sempre quis estar, e com uma companhia muito agradável. Ali sim eu deixei tudo de mal para trás e resolvi que nada mais do meu passado ia me aborrecer tanto. E desde então foi assim. Foi tipo o ano novo, mas não porque era “Ano Novo” e sim porque eu queria que “Os dias de cão” acabassem. E eu cantei isso a todo pulmão e depois me senti leve.Learn and live

Mesmo assim, tenho as minhas considerações para esse final de Ano. Não acho, que ficar falando das coisas que aconteceram esse ano, seja algo legal, na verdade acho que trás coisas ruins. Mas quero dizer obrigado, a 2013, nesse ano eu vi a Beyoncé, Jessie J, Florence, Justin e Alicia Keys de pertinho, fui em um show da Ivete. Conheci São Paulo. Entrei na faculdade de arquitetura e urbanismo. Sai do estágio. Tive um “relacionamento aberto” #hahaha. Fiz grandes amigos, fui a lugares, conheci pessoas. 2013 foi divertido e eu só tenho a agradecer por isso.

Então que veja esse 2014, com as mesmas coisas, mas com algumas surpresas, boas é claro. Mas que venham alguns obstáculos também para que a gente possa superar e crescer. Dinheiro sempre é bom também, mas eu quero de 2014 traga bastante saúde e critividade e também boas pessoas sabe? Dessas que eu encontrei em 2013, mas as que a gente pode contar e que te fazem sorrir e que estão do seu lado. Mesmo que não seja sempre. Fica aqui o meu muito obrigado a 2013 e bem-vindo 2014.

2014

Anúncios

Sobre o “The Voice Brasil”


Hoje de manhã e ontem a noite esse era o assunto mais comentado nas redes sociais. Eu li várias coisas sobre, muitos elogiando e muitas críticas. Algumas dessas críticas nas minha concepção estão bruscamente erradas. Concluindo esse texto é um mix de opiniões sobre um dos melhores programas internacionais na sua versão brasileira.

Sobre o Sam Alves: Primeiro todo mundo sabia que ele ia ganhar esse programa, e não foi por competência, e sim por ter sido rejeitado pelo “The Voice USA”. Pera Luiz você tá dizendo que o cara não tem talento? Não, ele tem talento e muito, mas ele era a melhor voz ali? Talvez.

the voice brasil 2013

O cara canta e bem, mas não é o que eu esperava no The Voice. E isso fica bem claro quando vemos as outras edições dos outros países. Você sente o clima de competição e superação entre mentores e candidatos, o que na verdade, falta, e muito, na nossa versão. Temos bons treinadores (tirem a Claudia Leitte dessa), eles são ótimos músicos, mas eles são amigos demais, e menos competidores, eles parecem bobos da corte prontos para entreter o público leigo sobre música.

O que falta é um pouco mais de tato e treinamento dos mentores, se você parar pra perceber eles não falam nada sobre o alcance ou sobre as notas dos candidatos, o que era pra rolar em um programa que tem como nome “The Voice”. E não para por aí, não vejo filmagens dos mentores realmente treinando seus pupilos, porque é isso que acontece ( que o diga a Christina Aguilera errando Single Ladies), principalmente quando o apresentador diz “E agora os mentores vão mostrar como se faz”. A Globo está mais preocupada em deixar uma boa imagem do que fazer uma coisa bem feita. Culpa provável do Boninho, mas eu não esperava nada além disso de alguém que é o diretor do BBB né?

O Depois… Ontem o programa contou com uma apresentação da ultima ganhadora Ellen Oléria, que eu sabia que ia ganhar desde as audições porque, cara, ela tem talento. Eu fiquei horrorizado com a participação dela. Eu achei um desperdício a voz dela. Uma pessoa com uma poderosa extensão feito da Ellen cantando um MPB que força a dizer palavras rápido, é isso mesmo? Eu fiquei esperando muito das notas prolongadas o que não aconteceu. E qual é a desculpa? MPB é assim? Bem, o mercado brasileiro de música precisa de uma voz como da elem para cantar baladas também, algo que toque a alma. E não mais uma coisa MPB, que reflita a nossa brasileiridade porque isso está em nosso sangue. Precisamos de uma diva, que não cante axé ou tecno brega e cante música direito com uma voz potente (sim, Sandy você é muito água com açúcar pro meu gosto.).

Continuar lendo

Back To December


❄️❄️

Hey dudes! Finalzinho do ano né? Queria começar agradecendo a todos vocês que continuaram firmes aqui no blog. Eu realmente tentei manter o blog a todo o vapor esse ano, mas como vocês puderam perceber não deu muito certo. Mas estou feliz do mesmo jeito.

A minha vida deu uma super volta esse ano, foram tantas emoções: Rock in Rio e faculdade nova, mais saída do estágio. Eu pensei com o alivio do estágio eu estaria livre para dedicar mais tempo aqui, mas a faculdade tem tomado bastante parte do meu tempo.

Não curto prometer que as coisas vão mudar por aqui, talvez não mudem, mas vou tentar. Quero trabalhar mais o lado da criatividade, mostrar mais coisas da arquitetura, fazer mais coisas do tipo “faça você mesmo”, quero falar de música também. Acho que vou ter que me programar melhor, bem melhor, diga-se de passagem.

Em fim, é dezembro de novo, aquela época mais clichê do ano, todo mundo sendo “bonzinho” e espirito de natal para cá e pra lá. Não tem como fugir de todos esse clichês, quero mesmo dizer tudo de melhor para vocês, mesmo e muito obrigado por ainda estarem aqui!

Mil abraços e beijos pra cada um de vocês e bom descanso.

sChristmas!

Farofa só pra quem sabe cozinhar.


Demi <33

Vendo o video acima  eu realmente constatei que farofa é só pra quem sabe cozinhar. Oi? Mas como assim? Calma gente, eu explico. De uns tempinhos pra cá tenho observado a Demi bem de perto, e tenho ficado cada vez mais espantado com todo o seu poderio vocal e essa voz rouca. Mas vamos ser sinceros, Demi é um artistas de baladas aquelas que talvez você tenha mesmo vontade de se cortar ( não me aguento com essa piada, desculpa Lovatics ♥).

Eu estava super ansioso para Neon Lights e realmente queria ir na turnê, mas por motivos de falta de verba e ingressos esgotados não rolou. Demi fez ótimos lives de Neon Lights sendo o melhor o do Grammy

.

Entretanto essa apresentação do X- Factor foi um tanto cagada, até por que foi um visivel problema de retorno ( e quem não desafina ao vivo? um beijo Christina Aguilera cantando “Make The World Move”

no The Voice USA). Só que talvez seja um problema mesmo de imaturidade em uma área da música.

Essa é a primeira farofa da Demi, eu ouvi essa música no CD (homônimo, diga-se de passagem) e disse “essa música precisa muito ser single, é a minha preferida” e logo ouvi da Demi dizer: “adoro essa música, nunca fiz algo parecido assim antes.”. Estão entendendo aonde eu quero chegar? Demi você é uma linda, mas quando se trata de um farofa completa, aquela com ovo, bacon, cenouras e tudo que tem direito, é melhor deixar com a Rihanna, por que isso ela sabe fazer muito bem (beijo em We Found Love a farofa mais linda desse mundo e Where Have You Been) além de David Guetta e Calvin Harris, e isso não se estende só a Demi não, viu dona Britney Spears com o Work (leia:YOKI) Bitch. Por favor deixem a farofa pra quem sabe cozinhar! :3

E só pra descontrair… sobre o final da performance:

lol | Tumblr

O Prisma transformador da Katy Perry


Prism

Depois de colher belos frutos do seu ultimo trabalho o Teenage Dream, Katy Perry tem o novo desafio nas mãos, manter o sucesso com um novo álbum. Então ela fez de tudo para deixar o passado de lado, queimando perucas, enterrando o álbum antigo, e rugindo como um tigre, na divulgação do primeiro single da era PRISM, Roar.

Image Galleries | Katy Perry

Entretanto Katy não precisa se preocupar em fazer sucesso. Seu CD já apresenta 3 singles no topo das paradas, sendo 2 deles são promocionais: Walk on Air e Dark Horse.  No entanto nem tudo são flores, o vazamento dos álbuns tem assombrado o mundo na música nos últimos tempos, e alguns dias antes do lançamento oficial, Katy viu seu material vazando pela internet pouco a pouco, foi quando ela mesma tomou a decisão de disponibilizá-lo na integra para que todos pudessem ouvir, uma jogada muito boa.

Katy | via Facebook

Eu já ouvi o álbum, (e quem ainda não?) e resolvi deixar aqui as minha impressões sobre o que eu achei. Vamos começar primeiro pelo time eleito pela Katy Perry que já faz de PRISM um sucesso de produção entre os nomes mais conhecidos temos velhos conhecidos como Dr. Luke e Bonnie Mckeen que também estiveram presentes na produção do antecessor de PRISM, Teenage Dream.

Prism Mexico ❤

Sobre o PRISM fiquei desde sempre com a mesma impressão que ele seria um pouco mais obscuro, mesmo com a sua capa sendo toda colorida. Falando em linha gerais, eu achei PRISM, anos 80,90 e início dos 2000 – mas, oi? É isso mesmo que você leu, foi uma época muito animada, com exagero de saxofones e batidinhas que ficam em nossas cabeças, mas não é só isso, em meio tanto brilho e coisas novas, se pararmos e olharmos para trás vamos achar tudo meio sem brilho ou meio obscuro, perto das nossas linhas retas e menos detalhes que vemos hoje em dia, ouçam e pensem nesse conceito.

Sobre as músicas eu vou falar, não do álbum todo, mas apenas as que eu quero muito que virem single, ou as que já viraram. São elas: Roar, Legendary Lovers, Unconditionally, Brithday, Walking on Air, Dark Horse, This is How We Do, International Smile, Choose Your Battles.

Sobre Roar, eu preciso dizer mais alguma coisa? É o primeiro single do CD e é incrível, chegou ao topo das paradas e conseguiu ganhar de Lady Gaga. Katy tá podendo.

Continuar lendo

Please Don’t Stop The Music: Semana Safadinha


Pra quem ficou meio voando essa semana, ela foi bem safadinha, e por não dizer promíscua? Rihanna e Britney liberaram seus novos clipes.  Eles abusam da sexualidade e dispensam roupas! É meu amigo leitor, o mundo está totalmente “Bitch”

Pour it up – Rihanna

Rihanna está toda cafetina no clipe do seu single “Pour It Up”, sentada em uma cadeira e mexendo a bunda como ninguém (aliás, que gelatina era aquela mesmo?) Aliás, dê uma olha e tire suas próprias conclusões:

Muito dinheiro, muito glamour, uma mistica dançando sensualmente (?) tudo bem chamativo. Bem, na minha opinião eu sinto saudades mesmo é da farofa!

Work Bitch – Britney Spears

Estavam dizendo que esse seria o grande come back da Neide. Será mesmo? Em questões musicais eu achei bem pobrezinho, tava esperando algo lá Piece of Me. Não é que a música seja ruim, mas eu esperava bem mais.  Dê uma olhada:

Então? A fotografia tá incrivel, mas eu achei parecido com “Wanna Go”. A parte do chicote em “Work Bitch” me lembra bastante a do microfone em “Wanna Go”. Sim, ela tá dançando muito bem e tá bonita, mas sei lá podia ser bem mais!

Walk on Air – Katy Perry

Ela não para né gente? Nem lançou o “Prism” e eu já tô amando o álbum que está quebrando recordes (será que dessa vez vai rolar Grammy?), Katy tem 3 singles no topo das paradas (essa sim renovou o pacto hein?). Com músicas bem acabadas e com estilos diferente Katy está fazendo o que sabe fazer melhor, um álbum cheio de surpresas e com um bom tema! Então com vocês “Walk on Air”