Communion, finalmente o álbum do Years & Years


Quem me acompanha no Twitter (se você ainda não me segue é @luiz8P) sabe que desde o início do ano estou prometendo um post sobre o Years & Years. Eis que finalmente esse dia chegou – todos comemora!  Quinta-feira, dia 10, o Years & Years liberou o álbum novo!!!

A banda britânica, que tem o som bem parecido com o Disclosure, é formada pelo vocalista Olly Alexander (o do meio na foto) , que atuou na última temporada de skins, Mikey Goldsworthy e Emre Turkmen. Acho que podemos chamar o que eles fazem de um eletropop, que tem uma pitada da vibe dos anos 90. Oi? Isso mesmo anos 90. Não sei se vocês lembram de quando eu fiz a resenha do Prism da Katy Perry e eu disse que ele tinha algo meio sombrio? Então. É bem isso a questão dos anos 90. O som do Years & Years é muito bom, mas se você está esperando algo superanimado, e muito pop, acho que você não vai encontrar com eles, o que não significa que não vale tirar um tempinho para ouvir os caras.

Sobre o álbum. No início eu disse que o álbum é novo e tal né? Mas não é bem assim. Quem já conhece a banda e segue ela no Spotify, ou até mesmo antes disso – que é o meu caso – não ficou muito surpreso ao ver a lista completa das músicas do CD, porque já tinha um monte de música que a gente já conhecia. Dá só uma olhada (você pode ouvir se quiser também;) nas músicas:

A minha faixa preferida é Take a Shelter. Foi amor da primeira vez eu ouvi. De alguma forma eu me senti conectada a ela. Foi parar na minha playlist do Spotify e nunca mais parei de ouvir. Então eu indico ela sempre pra quem quer curti uma banda nova, e não podia ser diferente aqui né? Saca só o clipe incrível!

Outra música que não pode faltar e que essa sim eu acho super parecida com o Disclosure é a Desire

O mundo também foi ao delírio com a música King, que acabou até saindo na coluna #CoverDaSemana aqui do blog na voz do Nick Jonas, se você não viu clique aqui. Vale a pena dizer que o coreografo do clipe é o mesmo de Chandelier da Sia, e de What Kind a Man da Florence + The Machine.

E o clipe bizarro e bastante sombrio de Shine – o que é muito irônico, diga-se de passagem:

E outra música que é uma das melhores do CD é Worship

Pra terminar a grande surpresa fica por conta da faixa “Eyes Hunt” que passou um uma transformação incrível, de uma faixa sem emoção e sem sal, para uma das mais legais do CD, depois que recebeu o piano evidente. Sabe, quando fui ouvir o CD inteiro, eu pensei “Nossa, a próxima é aquela música muito chata” quando começou a tocar eu abri o player de novo pra conferir se era aquela música mesmo, porque ela estava muito boa e muito diferente. Bem me diz o que você acha depois de ouvir você logo mais aqui em baixo:

Antiga:

Nova:

Bem, pessoal, depois desculpem pela demora, e eu espero – mesmo – que tenha valido a pena a espera e que  você tenha gostado do post. 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s