Magna Carta: Como devemos ver a música hoje



O Jay Z (sim, agora é sem o hífen) tá sabendo legal como mostrar para o mundo que ele é muito poderoso com música. Você deve estar se perguntando: “Oi? música? Ele canta hip-hop… isso não é música!” Se você pensa assim desculpa, mas reveja os seus conceitos e esse clipe. Jay Z é o tipo do cara que se você não curte, você tem respeito. Nesse ultimo trabalho (“Magna Carta Holy Grail”), o Mr. Carter tem tentado colocar o seu trabalho com uma arte, como realmente é, se você não sabe ele ficou quase um dia inteiro cantando “Picasso Baby” dentro de uma galeria de arte para provar isso.

E quer saber? Eu apoio esse trabalho, as músicas que são novas, ou que não são feitas por pessoas com um certo nome, tem sua importância diminuída pelas pessoas de hoje em dia. Jay Z e porque não Lady Gaga estão fazendo um trabalho muito bom em tentar colocar a música como uma coisa séria, que é uma coisa que é. Esse mundo é uma indústria, e não é somente escrever e gravar uma música e jogá-la nas rádios…

Os álbuns tem verdadeiros conceitos por trás, tem toda uma ideia concebida pelos artistas e o que eles querem passar com esse novo trabalho, desde a escrita da música até a capa do CD e o encarte. O próprio “Magna Carta Holy Grail” é assim, uma capa com uma escultura e uma tarja, músicas que fazem referencia a vários itens de arte e claro as participações. O dono da Roc Nation escolheu muito bem os seus parceiros na hora de gravar esse álbum Justin Timberlake que também vem com essa proposta de reinventar a música, trazer de volta a época aura dos anos 90 e com músicas de 6 minutos, porque ele pensou se a galera do rock pode fazer músicas com esse tempo porque nós do pop não podemos? Beyoncé também tem grande mérito de participação, ela é incrivelmente impecável com sua turnê sua música e sua vida, não é essa bagunça que muitos artistas fazem.

Para concluir espero que antes que as pessoas dizem que o mundo tem jeito porque as pessoas estão escutando músicas do passado, olhem para o presente, que pode ser clichê mais não tem esse nome atoa, e o que está sendo produzido hoje. E acabo voltando a essa mesma faixa para dar esse exemplo essa música se utiliza de um sample do Nirvana.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s