Experiência Rock in Rio


Rock in Rio.jpg

Hey! Foram 3 dias de grandes emoções e eu estou aqui para contar um pouco para vocês do que foi ter ido a um dos maiores, se não o maior, festival de música do planeta: O Rock in Rio. Primeiro queria dizer que o Rock in Rio é o festival de todos os gêneros e não só do rock. Aliás, o melhor sentido da palavra Rock para definir o festival é agitar, que é o que ele faz! Nada melhor do que ver Beyoncé que sou fã há 10 anos, Ivete, Florence + The Machine, Jessie J, 30 Seconds To Mars, Justin Timberlake, Alicia Keys, David Guetta, Kimbra e por aí vai…

Foi muita loucura esses três dias. Todo mundo disse que eu estava louco de ir em 3 dias seguidos, mas eu fui e me diverti. Fui sozinho, mas no 2º dia acabei encontrado com uma amiga, sim no meio de quase 90 mil pessoas! Muito mais do que ir em um festival eu fui correr atrás dos meus sonhos, porque como diz Jessie J “Sometimes dreams come true”.

O Rio parecia bastante organizado dessa vez para receber o evento, cheguei na cidade na quinta e fui para um apartamento de amigos que eu só tenho a agradecer. Que ficava na mesma rua do festival a 3,5 km! O que me deu uma super-vantagem. Já viu mineiro em cidade grande né? Foi fácil chegar com os ônibus bem sinalizados.

Dia 13

Este slideshow necessita de JavaScript.

No primeiro dia (13) de Festival foi tudo muito incrível, chegar cedo, pegar a fila, ver gente tirando foto com uma Beyoncé de papelão na fila de baixo de um sol quente. Nada como ver o Palco Mundo da entrada, eu repetia: Esse é o começo de um sonho. Rodei todos os palcos, o mais legal era o “aranha” que tocava música eletrônica, mas as surpresas estavam todas guardadas no Palco Sunset que proporcionou ficar bem perto dos artistas como a Jesuton e o Vocalista da Banda Vintage Trouble que desceu do palco e caminhou pelo meio da multidão! Sem nenhum segurança, foi lindo.

Sobre os shows do Palco Mundo no primeiro dia Beyoncé era o que todos esperávamos. Foi um dia que foi muito difícil um lugar na frente. Todos queriam estar perto da Queen B. Inclusive eu. Fiz alguns amigos que eu não sei o nome, a gente conversou mas não nos apresentamos. Foi muito empurra empurra, mas no final deu tudo certo. Eu me arrepiei a cada música. Vê-la bater cabelo, mesmo curto, cantar Halo, e fazer todo mundo pular em Crazy in Love foi lindo! Love on Top também foi muito especial. Mas a supresa mesmo foi o “Ah Lelek” nós não sabíamos como comportar, fomos todos pegos por um momento, o arrepio bateu e todos nós aplaudimos muito, só que achamos que o Jay-Z ia dar uma palhinha e que ela ia cantar “Bow Down” ou “Grown Woman” o que acabou não acontecendo. </3

O show da Ivete também não deixou nada a desejar, pulei tanto que perdi os meus óculos escuros e tive que comprar outros, não foi uma micareta mas foi quase. Ivete escolheu muito bem o setlist para não deixar ninguém parado, mas senti falta de grandes sucessos como “Quando a Chuva Passar” que é uma música mais lenta. David Guetta tocou Calvin Harris e todo mundo ficou meio “Oi?” e deixou de tocar um monte das suas músicas, para a nossa alegria pelo menos ele tocou “Titanium” a sua grande parceria com a Sia.

Dia 14

Este slideshow necessita de JavaScript.

No segundo dia (14) eu já estava morto de cansado do ultimo dia meus pés doíam muito. Fiquei sentado de boa a maior parte do tempo, cheguei cedo para não pegar muita fila, comprei óculos novos, deitei na grama e fiquei olhando para o céu que estava lindo e limpo aquele dia! Depois fui dar uma volta e acabei topando com a Marcelle e todos os outros amigos Roberta, Selma e outros. Passamos o resto do dia caminhando juntos. Ouvimos um pouco de Offspring e depois fomos procurar um lugar confortável para assistir todo os outros shows do Palco Mundo. Ficamos bem atrás da barraca que controlava luzes e tal. Sentados na graminha, foi legal. Logo começou e vimos Capital, que eu não sabia 90% da músicas.

A surpresa da noite ficou com a primeira atração internacional 30 Seconds to Mars. Jared Leto entrou todo DIVA no palco e com uma voz impecável, tomou açaí e para a nossa surpresa maior desceu na tirolesa. Como se não fosse emoção de mais, ainda foram chamadas várias pessoas para subir ao palco! O que deixou o show muito emocionante e me fez virar fã da banda! O show do Muse foi psicodélico, mas como não sou fã da banda e nem conhecia muito as músicas não foi tão incrível assim!

Florence + The Machine foi pra mim e para muitos a estrela da noite, com seus vocais poderosos e fazendo o seu tradicional ritual céltico ela mostrou para o Brasil um novo estilo de música. Ela parecia uma ninfa voando pelo palco e soltando gritinhos. Florence emocionou, foi lindo e mágico. Gritei muito para ela me sacrificar! Na parte que ela pediu para uns sacrifícios eu me ofereci na hora! Todos nós pulamos ao som de “Dog Days Are Over” deixando tudo de ruim para trás e cantamos emocionados “Shake  It Out”, sentimos falta de “Sweet Nothing” e “Seven Devils”.

Dia 15

Este slideshow necessita de JavaScript.

O terceiro e ultimo dia (15) também cheguei cedo, bem mais descansado que o dia anterior, eu fiquei no Palco Sunset esperando ansioso pela mistura inesperada da Kimbra com o Olodum que teve seu apogeu fazendo uma linda homenagem à Michel Jackson! Foi incrivel, a Kimbra falou muito português e foi muito legal isso da parte dela, não sabia muito as músicas mas curti o show e parecia que ela tava recebendo uma entidade em 80% do show. Antes dela assisti um show do Nando Reis com parceria do Samuel Rosa do Shank, que foi muito legal também com direito a homenagem a Cássia Eller e tudo mais. O Jota Quest no palco principal foi muito bom também, levantou multidão e ao contrário de Ivete levou o povo a balançar os bracinhos com suas músicas lentas como “Amor Maior” e “Só Hoje” a parte mais legal foi quando Lulu Santos subiu ao palco para cantar “Tempos Modernos”.

O meu maior motivo do 3º dia com toda a certeza era ver a Jessie J que não decepcionou. Cantou impecavelmente com todas as firulas que ela tem direito. Muitos ali, não conheciam seu trabalho direito, mas ficaram maravilhados com a capacidade vocal de Jessie e também pelo seu carinho com todos (ela quase beijou um cara enquanto cantava “Domino”) foi lindo ver também todos pulando ao som de Laser Light. Ela dando um beijo na câmera e também dançando com a bandeira do Brasil foi incrivel. Alicia Keys também deu o maior show, admito que me deu um pouco de sono e eu não conhecia todas as músicas de seu repertório, mas ela dá um show também. Achei legal a participação da Maria Gadú e o “E aí Rio” que ela soltou. Além de trocar “New York” por “Rio” em “Empire State of Mind”. Justin Timberlake mostrou é o vocal mais poderoso do pop moderno que veio sim para substituir Michael. Seu show foi clássico como o seu ultimo CD, mas eu estava cansado e não deu mesmo para ficar até o final, mesmo assim foi muito legal e impressionante o show dele até quando eu consegui ficar.

Coisas que não dá para esquecer:

  • Conheci o Federico Devito! E ele foi muito legal e atencioso comigo! Além dele ser da minha altura! O Luan Poffo também é muito engraçado!

DSC_0457

 

  • Aprendi também que é mais divertido quando se tem companhia.
  • Compre bastante água e leve na mochila porque tem um ponto que não dá mais comprar.
Anúncios

2 comentários sobre “Experiência Rock in Rio

    • Hey!!! Obrigado Paula, desculpa o meu esquecimento, já já faço um update. Pior que não foi brincadeira mesmo. Estou sem voz até hoje (hahaha). Adorei conhecer vocês! <3! Ah adorei seu blog também! Beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s